Saúde e DDHH
05/08/2010
Comunidade do Ciep Antonio Candeia Filho envia carta para a SME e para o prefeito

A comunidade escolar do Ciep Antonio Candeia Filho, unidade da rede municipal que foi assaltada oito vezes nos dois últimos meses e que, ontem, teve o seu fechamento anunciado pela secretária municipal de Educação Cláudia Costin, enviou uma carta para a SME protestando contra o fechamento da unidade e solicitando providências para a garantia do seu funcionamento. Hoje, profissionais, pais e alunos irão à prefeitura protestar. Veja o teor da carta abaixo:

Rio de Janeiro, 04 de agosto de 2010.

Exma Srª Secretária de Educação,

Exmo Sr. Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro,

Nós, professores, funcionários, alunos e responsáveis de alunos do CIEP Antônio

Candeia Filho, abaixo assinados, viemos por meio deste documento relatar e cobrar

providências para os fatos a seguir.

Nossa escola é alvo de constantes arrombamentos seguidos de furtos. Esta situação

sempre foi de conhecimento da 6ª CRE. Os equipamentos e objetos adquiridos pela escola,

como computadores, televisão, aparelhos de som, já não estão mais em nosso poder. Não

suportamos mais conviver com esta situação. Isso prejudica o trabalho pedagógico e

desestimula alunos e professores. Além disso, a cada acontecimento destes, as aulas são

suspensas para a realização da perícia, limpeza e reparos no local. Quem garantirá os 200 dias

letivos de nossos alunos?

Na última semana de julho a escola foi furtada por dois dias seguidos. Roubaram o

último computador. Por conta disso, não conseguimos mais emitir qualquer documentação.

Prevendo o que poderia acontecer durante o recesso escolar, o CEC convocou uma reunião e

cobrou providências da CRE, que estava presente, e do 9º Batalhão da Polícia Militar.

Nosso retorno após a semana de recesso, nos mostrou que tudo continua da mesma

forma, um novo arrombamento e o encanamento de água danificado, provocando um

alagamento em todo o interior do prédio. Hoje, um dia depois deste arrombamento, mais um

roubo. Desta vez a merenda de nossas crianças foi levada.

Em virtude deste descaso, estamos solicitando PROVIDÊNCIAS URGENTES para a

falta de segurança e condições de trabalho e estudo. Procuraremos todos os órgãos

competentes e responsáveis. Não descansaremos enquanto esta situação não for resolvida.

Não aceitamos também o fechamento de nossa escola. Não pode ser possível que não haja

uma outra solução. Nós temos um compromisso com a comunidade na qual a escola está

inserida. Comunidade esta que possui o IDH dentre os mais baixos do Rio de Janeiro e que,

sem o nosso trabalho ficaria privada de inúmeros projetos importantes, como PEJA,

PROJOVEM, atendimento a alunos PNE em nossa sala de recursos, entre outros. Lembramos

também que nossa escola é uma das chamadas “Escolas do Amanhã”. Depois de tantas

divulgações de projetos voltados para estas escolas, acreditamos que o CIEP Antônio Candeia

Filho mereça um pouco mais de atenção e cuidado da parte das autoridades competentes.

Além disso, todos nós, professores e funcionários da escola iniciamos um trabalho sério e não

admitimos que o mesmo seja interrompido por incapacidade destas mesmas autoridades em

garantir a continuidade deste trabalho.

Apontamos a seguir, algumas providências que julgamos de suma importância:

1 inspetor para cada corredor por turno. Nossa escola possui o segundo segmento no

trabalho com o PEJA;

1 vigia

Recuperação do prédio anexo e ocupação da residência por uma família local.

Estamos abertos a outras soluções cabíveis, queremos que essa situação seja resolvida

o mais rápido possível.

Atenciosamente,

Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do RJ
Endereço: Rua Evaristo da Veiga, 55 - 8º andar - Centro - Rio de Janeiro/RJ
Telefone: (21) 2195-0450