Saúde e DDHH
05/02/2018
Perseguição contra a professora Flávia Rodrigues: Veja como está o caso
A Professora Flávia Rodrigues, representante do Sepe na sua escola (EM Tagore), eleita pela comunidade local para representar a escola perante o sindicato e, também, informar à comunidade escolar as decisões e pautas da categoria, foi afastada da sua unidade escolar por ter colocado  um cartaz na escola com a pauta da categoria aprovada na assembleia do Sepe. realizada no mês de Setembro/2017. Desde então, ela vem respondendo a uma sindicância e teve no início de Janeiro de 2018 mais uma surpresa: recebeu um telegrama de intimação para depor para uma comissão que julga seu caso em um inquérito. Além da sindicância, a professora também passa por um inquérito, uma brutal perseguição política. 
 
No mês de Janeiro, a professora prestou depoimentos no inquérito, na prefeitura, e para a sindicância na SME. A professora esteve acompanhada por militantes de base do Sepe de diversas regionais, pela direção do Sepe Regional III, Coordenação Geral do Sepe, direção e Departamento Jurídico do SEPE, ex-alunos e também pelo coletivo CP2 diverso e democrático.
Pelo imediato arquivamento do inquérito e da sindicância e retorno da professora à escola de origem!
A perseguição à professora Flávia é perseguição ao sindicato e à toda categoria da educação municipal! Por uma escola sem mordaça!
Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do RJ
Endereço: Rua Evaristo da Veiga, 55 - 8º andar - Centro - Rio de Janeiro/RJ
Telefone: (21) 2195-0450