Agende seu Atendimento Virtual pelo Departamento Jurídico do Sepe nos fones: (21) 99992-4931 (9h às 11h); (21) 97133-7101 (13h às 15h); ou pelo email: juridico@seperj.org.br – segunda a sexta feira
O  Sepe comunica aos alunos inscritos no Curso de História das Lutas Sociais no Brasil que, por motivo de força maior, o Módulo IV "Revoltas rurais na 1ª República: Canudos e Contestado", terá de ser realizado neste sábado (dia 31 de agosto), das 09h às 13 horas, na Sala de Aula Paulo Romão, localizada  na Sede do Sepe-RJ (Rua Evaristo da Veiga, 55 – 7º andar, Cinelândia/Centro). O curso será ministrado pelo professor Tarcísio Motta.
 
Observação: quem já efetuou o pagamento poderá usá-lo para um futuro módulo ou solicitar o devido ressarcimento do valor pago.
0

Com os graves ataques à democracia e o recrudescimento do discurso autoritário desde a chegada do presidente Jair Bolsonaro ao poder, a sociedade brasileira tem assistido a uma série de ataques, verbais ou não, aos direitos civis e humanos em nosso país. O presidente, que tem atacado sisteameticamente as políticas públicas de memoória, verdade e reparação construídas pelo Estado brasileiroa aos longos das décadas subsequentes ao período da ditadura militar, agora, alterou a composição da Comissão de Anistia e os critérios para a reparação, desfigurou a Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos durante a ditadura e vem desqualificando os trbalhoas da Comissão Nacinal da 
Verdade, tudo com o ojbetivo de defesa dos crimes praticados no período. Não é por acaso que assistimos ao aumento da violência nos mais diferentes níveis em todo o país e o aumento dos ataques contra o direito das minorias e contra instituições públicas e privadas que atuam na defesa dos direitos da população.

Por conta destes fatores, a OAB RJ, ex-membros da Comissão da Verdade, juristas e entidades e organizações dos direitos humanos convocam para um ato público, denominado Ditadura Nunca Mais, que será realizado no dia 03 de setembro (terça-feira), na ABI (Rua Araújo Porto Alegre 71 – 9 andar), as partir das 17h.

0

O site do Jornal O Dia publicou ontem (dia 27), que durante uma audiência pública de uma comissão da Câmara de Vereadores, realizada no dia 26/8, no auditório da Universidade Castelo Branco, em Realengo, foi revelado que existem 321 merendeiras desviadas de função na área da 8ª CRE. Os números foram registrados em unidades de Realengo e redondezas durante audiência pública.

Na reunião, os profissionais e integrantes da 8ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), que abrange 12 bairros denunciaram a falta de segurança nas escolas e a sobrecarga de trabalho como as causas do adoecimento destas profissionais e seu consequente desvio de função. A audiência foi presidida pelo vereador Célio Lupparelli (DEM) e teve a participação do vereador Tarcísio Motta (PSOL), que participam da Comissão de Educação da Câmara de Vereadores.
 
Há muitos anos, o Sepe vem denunciando esta situação das merendeiras que, por causa da falta de concursos públicos e da terceirização, acabam tendo aumentada a sua carga de trabalho. O problema faz com que elas adquiram uma série de doenças do trabalho e tenham que ser desviadas de função. A prefeitura, ciente do problema, não faz nada para melhorar as condições de trabalho destas profissionais, nem promove um concurso público para contratação de mais merendeiras para suprir a demanda nas escolas da rede. 
Veja matéria do Dia pelo link;
https://tinyurl.com/yxzbatgh
0