Agende seu Atendimento Virtual pelo Departamento Jurídico do Sepe no fone: (21) 9999-24931 (manhã); ou pelo email: juridico@seperj.org.br
O Sepe informa aos profissionais de educação da rede municipal do Rio de Janeiro que estão abertas as inscrições para a ASSEMBLEIA VIRTUAL DA REDE MUNICIPAL RJ, que será realizada nessa quarta-feira (28/04), às 16h. 

PERÍODO DE INSCRIÇÃO: as inscrições já estão abertas e o término será às 22h de terça (27/04)

a) A INSCRIÇÃO será feita por meio do seguinte LINK: https://rio.seperj.info/av/

Ou clique aqui para se inscrever.

b) Caso não esteja ainda cadastrado o profissional será encaminhado para preencher o formulário de cadastramento (será solicitado envio de contracheque digitalizado da rede em questão);

c) No prazo de até 24 horas será informada a aprovação (ou não) de seu cadastro;

d) Após a aprovação do cadastro o profissional receberá uma mensagem de e-mail com a confirmação da inscrição e link para ativação de sua senha (confira nas Caixas de Spam ou de Promoções);

e) No dia da assembleia o profissional devidamente cadastrado e com a senha ativada receberá por e-mail links de acesso a plataforma Zoom e para votação de propostas.
0



A respeito da questão dos abonos de paralisações e greves realizadas pelos profissionais da rede municipal RJ, entre 2009 a 05/02/2020 e com o objetivo de desfazer dúvidas sobre o assunto, o Sepe esclarece à categoria:

Ano passado (2020), após muita pressão do sindicato, a categoria conquistou junto à Secretaria Municipal de Educação RJ (SME RJ), sob a gestão da secretária Talma Suane, o abono de todas as paralisações realizadas desde o ano de 2009, algo que não ocorria desde o primeiro governo de Eduardo Paes. No dia 01 de dezembro de 2020, o Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro publicou o decreto 48.239/2020, do prefeito Marcelo Crivella, com o abono de todas a paralisações da rede no período compreendido entre 30/3 2009 a 14/6/2019; o decreto publicado não incluiu as paralisações dos dias 13/08 e 10/10/2019 e 05/02/20. A inclusão foi solicitada oficialmente, visto que havia sido enviada em ofícios anteriores juntamente com as outras datas, mas não operacionalizado a tempo – leia o decreto aqui.

A greve de 2013 foi abonada após a audiência no STF e a greve de 2014 foi abonada pelo prefeito Marcelo Crivella, ainda na gestão do secretário de educação César Benjamin – leia aqui o abono da greve de 2014.

No ano de 2021, profissionais da educação em busca da sua aposentadoria ou licença prêmio, se dirigiram à prefeitura e receberam a informação, na Gerência de Recursos Humanos (GRH), de que o Sepe ainda não teria entregado todos os documentos necessários e que o órgão não teria em mãos as datas compreendidas no abono. A respeito desta afirmação da GRH, o Sepe esclarece que:

1. Todos os ofícios solicitando o abono das paralisações foram enviados pelo Sepe à SME, com as datas das mesmas.

2. A gestão anterior e a atual da SME receberam esses ofícios, enviados várias vezes e apresentados durante audiências realizadas com o órgão.

3. Desde o final do ano de 2020, o sindicato insiste com a retirada dessas datas de paralisação da folha de ponto dos professores e funcionários que participaram desses movimentos.

Assim sendo, após diversos contatos com a GRH, o sindicato recebeu o seguinte encaminhamento:

1. As faltas de paralisação serão retiradas pelo IPLAN;

2. Enquanto isso não acontecer, a Gerência está com a lista das datas e notificará as Coordenadorias;

3. O servidor, de preferência, deverá estar com essas datas em mãos, no momento do pedido.

Desta maneira, o Sepe também enviará um email para todas as Coordenadorias (CREs) com a lista das paralisações abonadas, no período de 2009 a 05/02/2020, e disponibilizará junto a esse comunicado a lista com todas as paralisações.

No caso de ocorrência de qualquer problema com relação a este assunto, o profissional deve entrar em contato com o Sepe (secretaria@seperj.org.br) para que possamos encaminhar as providências necessárias e esclarecer as dúvidas.

Leia aqui a lista das paralisações e greves abonadas desde 2009 até fevereiro de 2020.
0

O Sepe teve informações de que o programa “Conexão” da Seeduc está registrando a entrada dos professores no “Classroom”, que vem sendo usado pela Secretaria desde o início da pandemia para as atividades on-line. Dessa forma, o Sepe reafirma as seguintes considerações:

1) Um trabalho pedagógico não se conta pelo numero de cliques ou entradas em uma plataforma on-line de ensino, mas com a efetiva interação entre estudantes e professores;

2) A posição do Sepe é a de que o docente deve ter autonomia no uso de ferramentas para a realização de seu trabalho de modo que atinja os estudantes da maneira mais satisfatória e ampla possíveis, não ficando restrito ao “Classroom”, ferramenta disponibilizada pelo governo do Estado. Nossa posição já foi esclarecida à Seeduc, nas audiências e demais reuniões e audiências públicas. Informamos, também, que reafirmaremos essa nossa visão na próxima audiência.

0