Agende seu Atendimento Virtual pelo Departamento Jurídico do Sepe nos fones: (21) 99992-4931 (9h às 11h); (21) 97133-7101 (13h às 15h); ou pelo email: juridico@seperj.org.br – segunda a sexta feira

O Sepe procurou um grupo de vereadores da bancada de oposição na Câmara Municipal do Rio de Janeiro para denunciar uma série de sanções que estão sendo efetuadas contra profissionais da rede municipal que se encontram fazendo a greve em defesa da saúde e da vida. Estas punições, que incluem descontos de salário, inquéritos administrativos, exclusão de professores da plataforma online, além de direções de escolas que estão sendo obrigados a assumir turmas de professores grevistas.

Também apresentamos aos vereadores a denúncia sobre casos de escolas que estão sendo mantidas abertas mesmo com casos confirmados de covid-19 e solicitamos a intervenção imediata dos parlamentares junto ao secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha.

Nesta quarta-feira (dia 19/5), 10 vereadores integrantes das bancadas do PSOL e do PT enviaram um comunicado ao secretário Ferreirinha, solicitando uma reunião em caráter de urgência entre eles, a SME e uma representação do Sepe RJ, com objetivo de discutir uma solução para as punições e os problemas nas escolas denunciados pela categoria.

0

O Jornal o Dia publicou matéria na tarde de hoje (dia 19/5) sobre o recuo da prefeitura do Rio de Janeiro na convocação de gestantes e lactantes da rede municipal para trabalho presencial nas escolas. Segundo a Secretaria Municipal de Educação (SME), as profissionais grávidas ou lactantes sem comorbidades convocadas para a volta ao trabalho presencial no dia 1º de julho, agora não tem data prevista para voltar às escolas.

Na matéria, O dia reproduziu uma nota enviada pela SME ao jornal, na qual a secretaria afirma que todas as grávidas e lactantes que trabalham na rede municipal estão sendo avisadas para permanecerem em casa, em regime de teletrabalho. Segundo a SME, a nova orientação se baseia numa lei federal sancionada na semana passada, que prevê a permanência dessas profissionais em regime de trabalho remoto até´ o fim da pandemia – a lei federal pode ser lida aqui.

A decisão da SME se configura numa vitória da categoria, já que o Sepe mobilizou as profissionais gestantes e lactantes desde o anúncio da convocação para o trabalho presencial para pressionar a prefeitura a revogar a medida. Ontem (dia 18/5), o Sepe realizou uma Plenária específica das gestantes e lactantes para traças estratégias de ação, com o objetivo de impedir o retorno e garantir a saúde e a vida destas profissionais.

Veja matéria do Jornal O Dia sobre o assunto pelo  link:
https://tinyurl.com/dpupjavd

0

O Sepe RJ realizará um ato simbólico de protesto na porta do Centro Administrativo da prefeitura (Praça Onze) nesta quinta-feira (dia 20 de maio), a partir das 16h. No ato, o sindicato levará balões vermelhos e velas para simbolizar os óbitos na educação municipal, desde a reabertura das escolas da rede para aulas presenciais durante a pandemia.

O ato faz parte das atividades da greve em defesa da saúde e da vida, deflagrada pelos profissionais depois da convocação pela prefeitura para a reabertura das escolas para trabalho presencial em fevereiro de 2021. Dentre as reivindicações da greve da categoria constam, além do fechamento imediato das escolas, a garantia de direitos e vacinação para todos.

0