Municipal, Todas

SÁBADO (22/10): REDE MUNICIPAL RJ FARÁ ATO E ASSEMBLEIA EM MADUREIRA

Os profissionais da rede municipal RJ participarão, no próximo sábado, dia 22 de outubro, do ato unificado da educação e, em seguida, da assembleia geral da categoria, no Bairro de Madureira – leia os horários e locais:

– 9h às 13h (22/10), atividade unificada da educação no Parque de Madureira;

– 14h (22/10): assembleia geral dos profissionais da educação da rede municipal RJ, também em Madureira, no “Espaço de Festas MM” (Rua Pirapora 55, saída 3 do Parque de Madureira).

Já o Conselho Deliberativo, que também seria realizado neste dia, foi cancelado.

A categoria segue em estado de greve e, dia 22/10, irá decidir os rumos da mobilização pela conquista do reajuste salarial e para forçar o prefeito Eduardo Paes a atender as reivindicações da rede municipal do Rio.

ASSEMBLEIA DIA 22/10 DECIDIRÁ RUMOS DA MOBILIZAÇÃO PELA CONQUISTA DO REAJUSTE

A rede municipal RJ está em campanha salarial. O último reajuste ocorreu em março de 2019, portanto, há mais de três anos. O Sepe-Dieese pesquisou os índices de perdas que comprovam como os salários dos profissionais da educação estão arrochados: para que os salários em 1º de junho de 2022 retornassem ao mesmo poder de compra de 1º de março de 2019, o reajuste necessário sobre os salários de maio de 2022 seria de 30,15% (INPC/IBGE) e de 28,65% (IPCA-IBGE). A seguir, conheça a nossa pauta:

– Recomposição salarial, já!

– Pelo cumprimento da Lei 3.252, de 19 de julho de 2001, que prevê a revisão pelo índice do IPCA-E. lembrando que não houve reajuste salarial em 2017 e estamos sem reajuste desde março de 2019.

– Descongelamento do valor do vale alimentação (mais de 10 anos sem reajuste).

– Não ao fim da paridade e integralidade; contra a taxação de aposentados e pensionistas.

– Contra os cortes nos benefícios e as mudanças no plano de saúde.

– Cumprimento de 1/3 da jornada para atividade extraclasse.

– Contra o desvio de função de secretários escolares; pela regularização dos cursos e do pagamento das gratificações.

– Reconhecimento da função de cozinheira (agregando o valor de insalubridade), da função de magistério de AEIs; contra a desvalorização dos agentes educadores e a ausência de enquadramento por formação de funcionários.