Agende seu Atendimento Virtual pelo Departamento Jurídico do Sepe nos fones: (21) 99992-4931 (9h às 11h); (21) 97133-7101 (13h às 15h); ou pelo email: juridico@seperj.org.br – segunda a sexta feira

Os profissionais da educação das redes estadual e municipal do Rio de Janeiro, além de várias outras redes municipais (veja a lista mais abaixo), vão participar da greve geral da Educação contra a reforma da previdência convocada pela CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação) e CONTEE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino – rede privada). Fiquem atentos às convocações para as assembleias das redes municipais que irão decidir sobre a participação na greve.

O sindicato orienta a categoria a pressionar os deputados da Comissão Especial da previdência – clique aqui para entrar em contato com os deputados. 

Veja as redes que já decidiram que participarão da greve do dia 15/05:

1)Rede Estadual

2)Rede Municipal do Rio

3)Rede Municipal de São Gonçalo

4)Rede Municipal de Mendes

5)Rede Municipal de Cabo Frio

6)Rede Municipal de Mangaratiba

7) Rede Municipal de Niterói

8) Macaé

9) Volta Redonda

10) Duque de Caxias

O Sepe também convoca a categoria a participar do ato do 1º de maio convocado pelas centrais – haverá uma coluna do Sepe, com faixas e bandeiras.

A diretoria do Sepe irá conclamar às centrais sindicais que se unam à greve nacional da educação.
A Diretoria do Sepe indica a todos os Núcleos que convoquem assembleia das Redes Municipais com pauta de Greve Geral da Educação. Indica, também, que sejam realizadas atividades nos núcleos, nas escolas e junto aos conselhos escolares convocando para o dia 15/05. 

O Sepe irá procurar o Sinpro-Rio (Sindicato dos Professores do Município do Rio), ANDES-RJ, as Centrais Sindicais e demais entidades e movimentos sociais para a organização de banquinhas com cartilhas e o abaixo-assinado das Centrais na cidade e interior e produção de materiais de campanha.

Este é o momento da reação ao ataque à nossa previdência e aos nossos direitos. Vamos ragir ou “amanhã” será tarde.
Nenhum direito a menos!

0