Agende seu Atendimento Virtual pelo Departamento Jurídico do Sepe nos fones: (21) 99992-4931 (9h às 11h); (21) 97133-7101 (13h às 15h); ou pelo email: juridico@seperj.org.br – segunda a sexta feira

Curso de Formação 2019 – HISTÓRIA DAS LUTAS SOCIAIS NO BRASIL está com inscrições abertas para o seu próximo módulo “DO NOVO SINDICALISMO AO SINDICALISMO ATUAL”, ministrado por Teones França, nesta sexta-feira (01), às 19 horas, na Sala de Aula Paulo Romão, localizada na Sede do Sepe-RJ (Rua Evaristo da Veiga, 55 – 7º andar, r, Cinelândia/Centro).

As inscrições podem ser feitas pelo link do curso: https://www.eventbrite.com.br/e/curso-historia-das-lutas-sociais-no-brasil-edicao-2019-tickets-66690114929 ou diretamente pelo e-mail registro.sepe@gmail.com.

Também estamos com inscrições abertas para o próximo e último módulo:

08 de novembro – “Lutas sociais a partir de junho de 2013” (Coordenação a definir)
 Há cobrança diferenciada de taxas, sendo:

1) FILIADOS = R$ 5,00 (cinco reais) por módulo;

2) FILIADOS A ENTIDADES DA EDUCAÇÃO = R$ 10,00 (dez reais) por módulo;

3) NÃO FILIADOS = R$ 20,00 (vinte reais) por módulo.

Os valores serão revertidos para o SEPE e tem o intuito de fortalecer a campanha de filiação do sindicato.

Observação: Para confirmar a inscrição os interessados deverão efetuar o pagamento da Taxa de Inscrição na Tesouraria do Sepe ou via transferência/depósito bancário (BRADESCO Agência nº 3176 – Conta Corrente nº 23941-0; CNPJ:28.708.576/0001-27). Com o devido comprovante enviado pra o e-mail: registro.sepe@gmail.com.

Caso não seja possível, a taxa poderá ser paga no local da atividade junto a coordenação do Curso. 

0

No dia 28 de outubro, às 14h, no auditório do Sepe Central, foi realizada a reunião ampliada de Agentes de Educação Infantil (AEIs). A reunião foi iniciada com o esclarecimento à categoria pela direção do Sepe de como funciona o sindicato: foi esclarecido, dessa forma, que o Sepe é um sindicato unificado e que abrange todas as categorias funcionais de todas as redes municipais, incluindo a capital, e a rede estadual do Rio de Janeiro.

Foi esclarecido, também, o teor da reunião realizada na Prefeitura do Rio, no dia 24/10/2019, como já consta no site do sindicato desde o dia 25/10/2019.

A categoria tirou dúvidas com o Departamento Jurídico do Sepe e, ao final, foi acordado os seguintes encaminhamentos:

• Formar grupos para permanecer em vigília na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, tendo em vista a votação do Projeto de Lei que visa regulamentar a situação das AEIs;

• Enviar mensagens para os emails dos Vereadores para cobrar a correção da escolaridade para Nível Médio na modalidade Normal, constando no Projeto de Lei, assim como a correção salarial;

• Mobilizar a categoria para lotar as galerias da Câmara no dia da votação do projeto de lei.

Os e-mails dos vereadores podem ser acessados aqui: http://www.camara.rj.gov.br/

0

De acordo com matéria publica pelo O Globo desta terça-feira (dia 29/10), o pacote da reforma administrativa que será enviada pelo governo federal para o Congresso prevê o fim da progressão automática dos servidores e o tempo de serviço deixará de ser o principal critério de promoção dos funcionários públicos. A matéria acrescenta ainda que o governo quer promover os servidores somente por meio da meritocracia. A proposta será encaminhada nesta semana para o Legislativo e o objetivo da equipe econômica  é o de alongar o tempo o tempo que os funcionários levam para chegar ao topo da carreira (de 20 anos, em média).
 
 Ainda segundo Globo, Bolsonaro afirmou que a reforma só afetará os novos servidores, mas a reportagem ressalva que ainda não está claro se as regras de progressão seriam voltadas apenas para futuros servidores ou se também seriam válidas para funcionários da ativa. O pacote será apresentado na quarta-feira pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.
 
A reforma, a princípio, afetará apenas os servidores federais. Mas os demais servidores públicos das outras esferas de governo (estaduais e municipais) deve se mobilizar e se preparar para um possível efeito cascata, com estados e municípios utilizando o projeto que será votado no Congresso para promover mudanças nos estatutos e planos de carreiras dos funcionalismos estadual e municipal. A rede estadual, por exemplo, que tem na progressão entre os níveis a cada cinco anos como um dos pilares básicos do seu plano de carreira, acaba de sofrer um ataque do governo Witzel há menos de dois meses, quando um decreto do governador tentou acabar com este dispositivo. A mobilização rápida do Sepe e categoria junto aos deputados da Alerj fez com que Witzel voltasse atrás e suspendesse a publicação.
 
Outro ponto que deve ser repudiado é a volta do discurso meritocrático para valorizar os servidores. Sabemos que tais iniciativas não passam de cortina de fumaça para esconder os problemas e desigualdades existentes no serviço público, que tornam impossível uma valorização justa pautada somente pela meritocracia. A progressão por tempo de serviço, prevista pela maioria absoluta dos planos de valorização do funcionalismo é a forma mais justa e democrática para oferecer uma possibilidade de remuneração mais justa para os aviltados salários destas categorias.
0

Os 40 anos da histórica greve da educação estadual em 1979 são o tema da exposição "O Sol por testemunha", que será realizado na UERJ, nesta quarta-feira (dia 30 de outubro), a partir das 14h30m, no auditório 93 (9º andar). A mesa redonda sobre a greve de 1979 contará com a participação dos seguintes professores: Maria das Dores Mota. Hildézia Medeiros; Ítalo Moriconi; Lia Faria; e Marlene Fernandes. (Veja mais informações na imagem ao lado)

0