Agende seu Atendimento Virtual pelo Departamento Jurídico do Sepe nos fones: (21) 99992-4931 (9h às 11h); (21) 97133-7101 (13h às 15h); ou pelo email: juridico@seperj.org.br – segunda a sexta feira

A direção do Sepe teve uma reunião nesta quarta-feira (dia 29/7) com a secretária municipal de Educação, Talma Romero Suane O encontro teve com pauta única a reabertura das unidades escolares e a volta das atividades presenciais dos profissionais da educação.

O Sepe apresentou vários elementos e insistiu na reunião que a abertura das escolas nesse momento é prematura e coloca em risco a vida dos servidores que serão convocados para trabalhar.

A secretária defendeu a concepção da prefeitura sobre o atual estágio da pandemia na cidade e que a volta gradual era uma necessidade. Mas que não haverá punição para os servidores convocados e que não puderem comparecer.

Mas o Sepe entende que essa decisão não cabe ao servidor individualmente e que a prefeitura é quem deve garantir a saúde do servidor. Também afirmou categoricamente, que este governo poderá ser marcado por uma greve em defesa da vida, arcando com as consequências, políticas e judiciais, de ter em sua conta o adoecimento ou até o falecimento de profissionais da educação e estudantes que retornaram às escolas fora de hora, num momento em que a FIOCRUZ afirma que não é momento para a reabertura das UEs.

A secretária também disse que os refeitórios não reabrirão no dia 03/08, pois não se encontram ainda adequados aos procedimentos necessários para evitar os riscos da pandemia, mas que este é o objetivo da prefeitura.

A secretária, porém, afirmou que, dia 03/08, as diretoras deverão retornar ao trabalho presencial. A reunião com os diretores na quinta ou sexta-feira definirá realmente a volta nessa data, como ela será realizada e quais profissionais serão necessários.

Talma Romero também afirmou que é preciso proteger o patrimônio da escola, medida apoiada pelo Sindicato, mas entendemos que não é preciso reabrir a escola e retomar o trabalho presencial para fazer esse levantamento.

Por fim, a secretária reafirmou que a SME está subordinada às decisões do Comitê Científico da prefeitura, que deve ou não confirmar essas datas. Sobre o Comitê, a diretoria do sindicato enfatizou as polêmicas que envolvem a sua constituição e a ausência de instituições importantes como a FIOCRUZ.

Mantida a decisão de abertura para o dia 3 de agosto por parte da prefeitura, o Sepe ainda insiste numa decisão favorável da Justiça que impeça a reabertura das escolas e a convocação dos profissionais da educação para as atividades presenciais, sejam elas de qualquer segmento.

De qualquer forma, o Sindicato irá realizar assembleia nessa quinta-feira, com pauta única, e que trata da proposta da direção de deflagração da greve dos profissionais da educação da rede municipal do Rio de Janeiro em defesa da vida e contra a reabertura das escolas nesse quadro da pandemia, assim que forem convocados para o retorno das atividades escolares presenciais.

O Sepe reafirma que prestigia a comunidade científica, que de forma ampla e pública indica ser o retorno nesse momento inapropriado.

Conclamos o Conselho de Diretores a reforçar a pauta única da categoria na reunião com a secretária de Educação.

A rede municipal do Rio de Janeiro realizará uma assembleia virtual histórica! Participe!

O Sepe somos nós, nossa força e nossa voz!

0