destaque-home, Estadual, Todas

SEPE TEVE REUNIÃO COM A SEEDUC NO DIA 29/7 – VEJA O QUE FOI DISCUTIDO

A direção do Sepe RJ teve uma reunião na SEEDUC no dia 29 de julho para tratar de vários assuntos do interesse da categoria. No encontro, além de diretores do sindicato e de um representante da entidade no Grupo de Trabalho (GT) do Ensino Médio, estiveram presentes pela Secretaria Ana Valéria Dantas (Subsecretaria de Gestão de Ensino) e Pedro de Moraes (Superintendência Pedagógica).

 

A pauta levada pela direção do Sepe para a reunião constou dos seguintes temas: reforma do Ensino Médio, Animação Cultural, Grupo de Trabalho das Carreiras, 1/3 de planejamento e casos individuais.

 

Segundo a SEEDUC o calendário apertado de consulta e escolha dos itinerários formativos e de seus componentes curriculares tem sido construído em função da preocupação com o estabelecimento do quadro de horário do ano letivo de 2022 até o final do mesmo, de modo que o professor, ao sair de férias, já esteja ciente do seu horário, das suas turmas e do que vai ministrar no ano seguinte. 

 

O Sepe questionou a maneira como vem sendo implementado o Novo Ensino Médio: na nossa avaliação, o mesmo vem sendo realizado a toque de caixa, sem participação ativa da comunidade escolar e sem o devido tempo hábil para que tanto o GT quanto a comunidade escolar possam se debruçar com afinco e profundidade sobre o projeto do Novo Ensino Médio.

 

A SEEDUC assegurou que nenhum professor será considerado excedente por que os itinerários formativos estão sendo montados a partir do quadro de profissionais com matrícula de cada escola. Sobre as perguntas da direção do sindicato a respeito do que acontecerá caso o aluno não opte por nenhum dos itinerários disponibilizados; sobre o descompasso entre o trabalho do GT e a implementação da Reforma; a redução de disciplinas e o diálogo com responsáveis, alunos e professores, os representantes da SEEDUC nos informaram o seguinte: nenhuma disciplina vai perder tempo de aula por que, nos itinerários formativos, elas serão absorvidas; e que a Secretaria reconhece e irá buscar mecanismos para melhorar o diálogo junto às unidades escolares e suas respectivas comunidades;

 

Ainda sobre o tema levantamos indagações, tais como: número de itinerários por unidade escolar; o que acontecerá caso o aluno não opte por nenhum dos itinerários disponibilizados; o descompasso entre o trabalho do GT e a implementação da reforma; a redução de disciplinas e o diálogo com responsáveis, alunos e professores. Nos foi informado que nenhuma disciplina vai perder tempo de aula porque nos itinerários formativos elas serão absorvidas; que a Secretaria reconhece e vai buscar mecanismos para melhorar o diálogo junto às unidades escolares e as suas respectivas comunidades. Foi reagendada uma audiência para o dia 11 de agosto, tendo como pauta única a Reforma do Ensino Médio.

 

A direção do Sepe relembrou a situação desesperadora dos animadores culturais e, mais uma vez, falamos da importância desses profissionais para a rede. Os representantes da SEEDUC responderam que estão debruçados sobre esta demanda e afirmaram também que o secretário está sensível a questão. Eles se comprometeram a verificar se a Procuradoria Geral do Estado (PGE) já solicitou uma reunião com o secretário de Educação.

 

No tocante ao GT das Carreiras nos foi informado que é de competência da Subintendência de Gestão de Pessoas.

 

A direção do Sindicato debateu com o superintendente pedagógico a nossa defesa em relação ao direito do planejamento aos professores que exercem ação pedagógica na escola, como por exemplo: os articuladores pedagógicos e estimuladores de leitura; além dos professores em sala de aula. Entendemos que a ação destes profissionais é interdisciplinar, sendo construída coletivamente para o processo da aprendizagem.

 

O superintendente afirmou ter o mesmo entendimento e vai discutir com a Superintendência de Gestão a ampliação deste direito ao 1/3 extraclasse para todos os professores, com exceção daqueles que estão na escola em função gratificada.

 

Sobre os casos individuais, tratamos do número excessivo de alunos por turma em uma escola em Duque de Caxias e dos puxadinhos criados na gestão do ex-secretário, Pedro Fernandes, no CIEP Dr. Ulysses Guimarães. Em ambos os casos a SEEDUC ficou de apurar a situação.

Author


Avatar