Agende seu atendimento pelo Departamento Jurídico do Sepe no fone: (21) 2195-0457 (10h às 16h).
Publicamos abaixo uma carta dos professores de Ciências Humanas do CAIC Theóphilo de Souza Pinto manifestando insatisfação com a agenda imposta pela SEEDUC para análise do Documento de Orientação Curricular Preliminar do Estado do Rio de Janeiro, como parte do plano de implementação no Novo Ensino Médio e BNCC, tanto em razão de seu conteúdo e prováveis prejuízos à educação pública, bem como pelos contornos antidemocráticos na condução do processo de implementação.

Veja o teor completo da carta clicando o link abaixo:

carta caic
0

Em assembleia virtual realizada no final da tarde desta quinta-feira, dia 10 de junho, os profissionais da rede estadual aprovaram a manutenção da greve em defesa da saúde e da vida contra o retorno presencial das atividades escolares, mas com a manutenção das atividades remotas em home office.

A plenária virtual também aprovou apoio ao ato Fora Bolsonaro, que será realizado no dia 19 de junho, com transmissão online da atividade.

Veja como foi a votação:

1

219 votos (86,6%): A assembleia da Rede estadual do RJ aprova para a MANUTENÇÃO da GREVE EM DEFESA DA SAÚDE E DA VIDA contra o retorno presencial das atividades escolares mas com a manutenção das atividades remotas em home Office

 

11 votos)4,3%): A assembleia da rede estadual aprova a SUSPENSÃO da GREVE EM DEFESA DA SAÚDE E DA VIDA

 

23 votos (9,1%):  Abstenção

2

Sobre o ato Fora Bolsonaro no dia 19 de junho

 

157 votos (62,1%): A assembleia da rede estadual apoia o ato, com transmissão online da atividade.

 

74 votos (29,2%): A assembleia da rede estadual convoca a categoria para participar do ato no dia 19 de junho.

 

22 votos (8,7%): Abstenção

Veja abaixo gráfico com índices da votação que aprovou a continuidade da greve na rede estadual:

0

Nós, professores e professoras de Filosofia, Geografia, História e Sociologia do Colégio Estadual Antônio da Silva nos posicionamos através dessa carta em repúdio à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), bem como o repúdio ao Programa Nacional do Livro Didático 2021 (PNLD).
Entendemos a escola como um espaço (físico e simbólico) de construção de conhecimentos e relações sociais democrático. Para isso, é indispensável que essa construção respeite a todo o momento fundamentos básico de uma lógica democrática. Sendo assim, é requisito essencial que todos os atores que participam da formação da escola tomem parte ativamente do processo. Não é isso que temos visto na formulação da BNCC. Em um projeto democrático não basta somente uma consulta, não bastam poucas rodadas de discussão.

Acreditar que o parecer de um grupo é o suficiente dentro de um debate tão complexo é uma falácia que busca dar uma aparência democrática a algo que já despontou, ao contrário, antidemocrático. Não aceitamos e mais uma vez repudiamos esse modo de lidar com a educação e com as pessoas.
 
Reforçando o caráter antidemocrático do debate proposto, o contexto da pandemia da Covid-19 trouxe complicações ainda maiores. As medidas sanitárias indicadas pelos mais respeitados especialistas e organizações de saúde pública orientaram para o distanciamento social e contenção de aglomerações. Esse cenário estabeleceu limitações ao debate público com a comunidade. As tecnologias digitais de comunicação tornaram-se elementos importantes da prática político-pedagógica, mas é notória a desigualdade de acesso aos meios como computadores, notebooks, smartphones e internet, corroborando para o esvaziamento do debate.

Em relação ao conteúdo pedagógico e aos livros didáticos, repudiamos e afirmamos a NÃO ESCOLHA da área de Ciências Humanas. Entendemos que o material reforça a fragmentação do conhecimento e das práticas. Essa fragmentação é fortemente contrária ao nosso Projeto Político-Pedagógico que se apoia, entre outros critérios, na construção de um saber integrado. Além disso, o material pedagógico aponta para a diluição e superficialidade dos conteúdos abordados o que, mais uma vez, se opõe ao nosso Projeto ao considerarmos que um sujeito crítico e autônomo é construído e se constrói a partir, também, de discussões profundas, complexas e perspectivas diversas e abrangentes.

Por fim, destacamos que não se pensa e realiza qualquer projeto pedagógico em condições precárias. O ano de 2021 marca o sétimo ano sem reajuste aos profissionais da educação da Rede Estadual. Falamos de planejamentos curriculares a longo prazo, portanto, é inaceitável conviver com tamanho descaso e desrespeito. “Apoios” e “auxílios” não bastam. A educação pública, gratuita e de qualidade passa, inclusive, por reajustes e valorização do plano de carreira dos servidores da educação.

Dessa forma, endossamos a posição de colegas e segmentos críticos à BNCC, ao PNLD 2021 e reiteramos o apoio a um projeto de escola democrático e a valorização da educação
pública de qualidade.

Nova Iguaçu, 09 de junho de 2021
0

O Sepe RJ disponibiliza para os profissionais de educação da rede estadual um modelo de ata de Reunião de Consulta sobre o Novo Ensino Médio que vem sendo implementado pela SEEDUC RJ. No modelo ora disponibilizado, a categoria pode encontrar todos os questionamentos feitos pelos profissionais das escolas nas plenárias realizadas pelo sindicato e nas reuniões nas escolas sobre a forma de implementação da Reforma do Ensino Médio pela SEEDUC RJ.

 

O Sepe lembra à categoria que esta é a última semana do processo de implementação, acentuando a importância das manifestações e denúncias da categoria contra o projeto do novo ensino médio que a SEEDUC quer levar a cabo para as escolas da rede estadual.

 

Para acessar o modelo da ata de reunião de consulta sobre o Novo Ensino Médio, clique nas imagens abaixo:


 

Clique nos links abaixo para acessar os canais de denúncia do Ministério Público Estadual para denunciar onde não está ocorrendo o debate de forma ampla e democrática sobre a reforma do ensino médio, quem vem sendo tocada pela SEEDUC RJ

 

Formulário para denúncia on line ao MP/RJ: 

http://www.mprj.mp.br/comunicacao/ouvidoria/formulario…

 

Email do MP da Educação: cao.educacao@mprj.mp.br

 

Site do MP da Educação: http://www.mprj.mp.br/…/conhe…/areas-de-atuacao/educacao

 

Facebook MP: https://www.facebook.com/MPRJ.Oficial

 

 

0

O Sepe RJ publica abaixo uma carta manifesto dos professores do Ciep 032 Cora Coralina, enviada para a Coordenadoria Metropolitana V da SEEDUC, expressando seu repúdio à Reforma do Ensino Médio que a SEEDUC quer implementar na rede estadual de educação.

À Metropolitana V

CARTA-MANIFESTO

Nós, professores das áreas de Arte, Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Estrangeira, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia do CIEP 032 – Cora Coralina, da Metropolitana V, vêm por meio desse documento manifestar nosso repúdio à reforma do Ensino Médio que a SEEDUC/RJ está implementando na rede estadual.

Em plena Pandemia a mesma está impondo ações relativas a essa Reforma com prazos determinados, como o formulário/questionário que foram enviados para as escolas solicitarem aos professores o preenchimento em um curto período de tempo, sem tempo para a categoria debater com a comunidade escolar e chegar num consenso. Alguns docentes chegaram a iniciar o preenchimento do questionário/formulário, mas após um intenso debate entre equipes de diferentes áreas, definimos que NÃO DEVEMOS concluir pelas seguintes razões:

 

  • O prazo determinado pela SEEDUC/RJ para entrega do formulário/questionário é extremamente curto. Não há tempo hábil de debater com a categoria e compreender o motivo real dessa pressão;

 

  • Pelo adiamento da consulta da SEEDUC. Por uma conferência estadual de educação, com debate democrático com a categoria;

 

  • Somos contra à precarização da educação que essa Reforma do Ensino Médio irá trazer para escola pública;

 

  • Somos contra as parcerias público-privadas, que essa reforma possibilita, dinheiro público deve ser investido nas escolas públicas;

 

  • Somos contra o agrupamento de disciplinas em ciências humanas e sociais aplicadas. Somos a favor da permanência curricular por área de conhecimento em que todas as disciplinas devem ser obrigatórias, sem que nenhuma disciplina tenha menos de 2 tempos! (Cada matrícula uma escola);

 

  • Consideramos o documento engessado e extremamente conteudista, sem espaço para qualquer ação docente. Além disso, não é considerada a realidade nem o contexto social específico da comunidade escolar;
  • Somos a favor do direito à educação para todos e não o direito a aprendizagem como está no texto dessa reforma;

 

  • Defender a autonomia pedagógica – Que as escolas tenham autonomia para estruturar o Ensino Médio;

 

  • Contra o notório saber.

Sem mais,

Professores do CIEP 032 Cora Coralina.

Duque de Caxias/RJ, 27 de maio de 2021.



0

A comissão constituída para a discussão das alterações no ensino médio, tem em sua composição uma professora de Artes, que está impossibilitada de exercer apropriada e plenamente tal atribuição e indicou uma professora de Filosofia para ocupar sua vaga, o que foi indeferido pela direção, sob a alegação que as profissionais referidas estão em áreas de concentração distintas.

 

Considerando que a discussão em tela permeia todos os segmentos e áreas pedagógicas de maneira integrada, não faz sentido uma divisão rígida de um quantitativo de representantes por área para sua composição.

 

Considerando que há liberdade para as unidades escolares definirem seu processo de discussão, tendo inclusive um grande número delas optado por formas de organização que contemplam uma ampla participação dos docentes, sendo esse inclusive o espírito da lei.

 

Considerando que a rigidez da formação da referida comissão e sua eleição mediante emails enviados para a direção (que não estão disponíveis para conferência), foi uma proposta apresentada pela diretoria, após discussão sumária e sem votação dos presentes à reunião virtual, na qual a decisão foi tomada.


Considerando que a professora indicada para a substituição tem grande conhecimento acumulado em discussões sobre o tema, com trabalhos publicados inclusive, tem tido destacada participação nas discussões em nossa entidade sindical e suas posições representam o pensamento de vários de nós, sua exclusão do processo resultaria em evidente empobrecimento do debate.


Não querendo crer que a recusa em aceitar a participação da professora seria uma recusa a ampliação do debate e a eventual exploração de pontos polêmicos. Nós, abaixo assinados, solicitamos que a substituição solicitada em epígrafe seja efetuada prontamente,

0

 
O Sepe RJ comunica com pesar o falecimento professor Wander dos Santos Carneiro, diretor geral do Colégio Estadual Prefeito Mendes de Moraes, da Ilha do Governador. O profissional faleceu na manhã desta segunda-feira (dia 7 de junho), vítima da covid-19.
O sindicato lamenta a morte do profissional de educação e se solidariza com a comunidade escolar do CE Mendes de Morares, familiares e amigos do diretor.

0

O Sepe informa aos profissionais de educação da rede estadual que já se encontram abertas as inscrições para a assembleia online, que será realizada na próxima quinta-feira (dia 10 de junho), às 17h.

 

PERÍODO DE INSCRIÇÃO: as inscrições já estão abertas e o término será às 22h da quarta-feira (dia 09 de junho)

 

a) A INSCRIÇÃO será feita por meio do seguinte LINK: http://rj.seperj.info/

 

b) Caso não esteja ainda cadastrado o profissional será encaminhado para preencher o formulário de cadastramento (será solicitado envio de contracheque digitalizado da rede em questão);

 

c) No prazo de até 24 horas será informada a aprovação (ou não) de seu cadastro;

 

d) Após a aprovação do cadastro o profissional receberá uma mensagem de e-mail com a confirmação da inscrição e link para ativação de sua senha (confira nas Caixas de Spam ou de Promoções);

 

e) No dia da assembleia o profissional devidamente cadastrado e com a senha ativada receberá por e-mail links de acesso a plataforma Zoom e para votação de propostas.

0

O Sepe RJ vem a público demonstrar seu repúdio e indignação contra a confirmação, por parte do governo federal, da realização da edição da Copa América 2021 em território nacional. A confirmação feita pelo presidente Jair Bolsonaro ontem (dia 02 de junho) da competição em território nacional, após a desistência da Argentina e da Colômbia, países que não aceitaram a realização da Copa América por causa da pandemia que avança nestes países, é mais uma clara demonstração da falta de consideração e de cuidado das autoridades públicas brasileiras para com a erradicação da disseminação da covid-19 no Brasil.

 

Realizar uma competição esportiva, que envolverá a participação de centenas de atletas e dirigentes oriundos de regiões onde a pandemia se mantém descontrolada e, em alguns casos, onde já foram registrados casos de novas cepas do vírus – como a cepa indiana que já vitimou centenas de milhares de pessoas em todo o mundo – é um contrassenso que vai de encontro aos alertas de epidemiologistas e autoridades sanitárias. Ao tomar a decisão de trazer a Copa América para o Brasil, Bolsonaro mantém sua posição de negacionismo e de falta total de empatia para com a população, abrindo as portas do país para a entrada de uma nova onda do coronavírus que pode ter consequências imprevisíveis como alertam os especialistas.

 

O Sepe também estranha que os governos de estados e municípios que já foram escolhidos para sediarem os jogos da Copa América, como é o caso do estado e da cidade do Rio de Janeiro não tenham se manifestado de forma contrária a este projeto que tem um claro objetivo político da parte de Bolsonaro. Com a realização da Copa, Bolsonaro quer passar uma sensação de normalidade no país, em meio ao desastre da sua administração no combate a uma epidemia que já matou mais de 460 mil brasileiros. E o governador Cláudio Castro e o prefeito Eduardo Paes se unem ao negacionismo e à irresponsabilidade do presidente, que não acredita em vacina nem em medidas de isolamento social sabidamente eficazes e comprovadas em vários países do mundo.

 

Não é este certamente o momento de se realizar competições internacionais ou nacionais no país. Com uma média diária de 1.800 mortes e dezenas de milhares de novos casos e a chegada do inverno, as condições para o aumento das doenças respiratórias graves, entre elas a covid-19, aumentam de forma exponencial. Com a detecção de casos de novas cepas, como a britânica e a indiana em países sul-americanos e a falta de medidas realmente eficazes de controle sanitário, o aumento da circulação de pessoas nas ruas e nos estádios durante a Copa América só pode beneficiar a disseminação da doença no conjunto da população brasileira.

 

Os profissionais de educação se juntam aos especialistas em infectologia e demais representantes da ciência para dizer o seu não à Copa América e ao negacionismo que tem provocado tantas mortes e tanta infelicidade em nosso país desde o início da pandemia.

0

O Sepe RJ disponibiliza abaixo links para que a categoria possa denunciar onde não está ocorrendo o debate de forma ampla e democrática sobre a reforma do ensino médio, que vem sendo tocada pela SEEDUC RJ.

Formulário para denúncia on line ao MP/RJ: 

http://www.mprj.mp.br/comunicacao/ouvidoria/formulario?fbclid=IwAR3eSYy896NZ-JAISyW3IaYEf0u5m3QO4jKR1LJ0v57dMzwjCkdUOtxu2IM

Email do MP da Educação:  cao.educacao@mprj.mp.br

 

Site do MP da Educação: http://www.mprj.mp.br/web/guest/conheca-o-mprj/areas-de-atuacao/educacao

Facebook MP: https://www.facebook.com/MPRJ.Oficial

0