Agende seu Atendimento Virtual pelo Departamento Jurídico do Sepe nos fones: (21) 99992-4931 (9h às 11h); (21) 97133-7101 (13h às 15h); ou pelo email: juridico@seperj.org.br – segunda a sexta feira

No ano em que se completam 42 anos de história o Sepe RJ, por meio da sua Secretaria de Assuntos Educacionais, Formação e Cultura (SAE), promoverá, no dia 19 de julho, o lançamento da Escola de Formação Paulo Freire do Sepe RJ. num momento de resistência a tantos ataques à classe trabalhadora, o objetivo do sindicato ao criar a escola é o de investir na formação da categoria militante, através de diversos cursos, seminários e oficinas por todo o Estado do Rio de Janeiro. Aqui, na capital, a escola terá uma sala, que será inaugurada no dia 19 de julho e que terá o nome  do funcionário  e ex-diretor do sindicato, Paulo Romão, o Paulinho, exemplo de garra, coragem, bondade e amor.

Por isso, o Sepe RJ convida a todos os profissionais de educação e militantes para o lançamento da nossa escola de formação Paulo Freire, no dia 19 de julho de 2019, às 18h. Na cerimônia de lançamento da escola haverá um debate no auditório do sindicato (Rua Evaristo da Veiga 55 – 7 andar).

0

A SEEDUC exonerou outro diretor de uma escola estadual. Desta vez, a exonerada foi a professora Carla Musa eleita pela comunidade escolar para a direção do CE Jornalista Maurício Azedo (Rua Carlos Seixas s/n – Caju),que foi retirada doi cargo sob a alegação de "problemas pedagógicos" na unidade. A exoneração da diretora foi realizada sem qualquer consulta à comunidade escolar, passando por cima dos principios da gestão democrática presentes no Plano Nacional da Educação e da lei estadual que implementou a eleição para diretores na rede estadual.
 
Este já é o quarto caso de exoneração de direções eleitas na rede estadual desde o início do ano. Com tal prática, que esperamos não ver transformada em rotina, a SEEDUC dá um péssimo exemplo para a população do Rio de Janeiro, ao desrespeitar uma lei estadual que implementou a gestão democrática nas escolas estaduais. Ao tirar uma direção eleita e colocar uma outra direção interventora em suas unidades, a Secretaria de Educação diz aos pais e alunos e aos profissoinais de educação que nelas trabalham que o governo do estado não tem qualquer apreço pelo direito legítimo das comunidades escolares elegerem os diretoras das escolas às quais pertencem. No dia 18 de junho, foi a vez da direção eleita do CE Olavo Bilac, que foi retirada do cargo sem qualquer explicação plausível e substituída por uma direção interventora. Na oportunidade, a comunidade escolar promoveu uma manifestação na porta da escola para exigir a volta da direção eleita.
0