Agende seu Atendimento Virtual pelo Departamento Jurídico do Sepe nos fones: (21) 99992-4931 (9h às 11h); (21) 97133-7101 (13h às 15h); ou pelo email: juridico@seperj.org.br – segunda a sexta feira
No dia 9/1/19, às 15h, realizou-se uma reunião entre a direção do Sepe e um grupo de Peis da rede municipal do Rio, a partir da solicitação feita pelas mesmas. Estiveram presentes mais de vinte professoras. O grupo apresentou muitas demandas e críticas, pois as professoras não se sentiam contempladas pelas ações construídas pelo sindicato na educação infantil. Diante de propostas de campanhas de desfiliação, o grupo optou por estabelecer um diálogo com o Sepe.
 
Os temas discutidos foram diversos: a pouca divulgação das atividades do Sepe e a comunicação muito ruim entre sindicato e categoria; a existência de maior atenção a um determinado segmento da EI em detrimento das Peis; problemas graves como o desrespeito ao direito à hora de almoço dentro da carga horária; a precarização e adoecimento das professoras devido às péssimas condições de trabalho na EI; a situação dramática das professoras da pré-escola, sozinhas em sua maioria com mais de 25 alunos; o desrespeito às atividades de planejamento nos centrinhos e a não aplicação correta do 1/3 de atividade extraclasse; o problema do planejamento na hora do “soninho”; a ampliação dos turnos parciais na EI; os descontos nas paralisações da rede; a concordância do grupo com a criação do cargo de PAEI para garantir a bidocência; o mau atendimento na perícia da prefeitura. 
 
Os diretores do Sepe, em resposta, concordaram com algumas demandas trazidas pelas professoras sobre as dificuldades vivenciadas no trabalho com a educação infantil e também a deficiente e precária comunicação do sindicato com a categoria. Ressaltou, por diversas vezes, que o caminho correto era o da participação unificada no sindicato e a sindicalização ao mesmo, levando as demandas para as assembleias. Também explicou aos presentes as ações realizadas pelo sindicato e ressaltou que a diretoria do Sepe defende a pauta aprovada pela categoria nesses fóruns deliberativos. 
 
Que as questões citadas são constantemente tema de todas as audiências com a SME. Que muitos casos individuais são acompanhados pelos diretores procurando soluções concretas. Que já houve no MP denúncias sobre as condições precárias na educação infantil através de uma representação direcionada à convocação imediata de concursados Peis. Que no ano de 2017, o MP havia recebido o sindicato para discutir as condições de trabalho péssimas da educação infantil da rede municipal do Rio e dos Peis, em particular. Que a ação do 1/3 é uma luta do sindicato, cuja ação já está em fase de execução. Que, embora os centrinhos parciais sejam uma conquista parcial e fruto da reivindicação emergencial do sindicato, a luta política e judicial pela implantação correta do 1/3 continuava sendo cobrada vigorosamente.  Que o Sepe defendeu contra a votação do novo cargo de PAEI no fim do ano de 2018, pois compreendia que o mesmo não havia sido amplamente discutido com a categoria da educação, com o sindicato e até mesmo com os vereadores.  Que essa discussão deve ser feita com muita cautela, pois a prefeitura criou uma série de cargos com erros históricos, que exigem hoje uma luta pela sua correção.  Que esse cargo pode se tornar uma armadilha para as próprias Peis, visto que pode ser mais lucrativo realizar somente concurso para um cargo com a mesma jornada de 40h mas com salário reduzido à metade.
 
Houve proposta de realização de um seminário da educação infantil, e foi entregue ao Sepe um texto do grupo com propostas discutidas e elaboradas sobre a luta na EI do Rio de Janeiro. A direção do sindicato finalizou saudando a iniciativa desse encontro, convidando todas as Peis à sindicalização, à participação nos encontros do Núcleo de Estudos da Educação Infantil, espaço este de conhecimento das legislações e das lutas da categoria, e à participação na próxima assembleia da rede municipal do Rio. 
0