Recepção: (21) 2195-0450. Agende seu atendimento pelo Departamento Jurídico: (21) 2195-0457 (10h às 16h).

A direção do Sepe se reuniu nesta segunda-feira (20) em audiência com a SMERJ (Secretaria Municipal de Educação RJ). Na pauta, três pontos: migração, convocação de aprovados e novos concursos. A reunião faz parte de uma rotina de reuniões periódicas entre o Sepe e a Secretaria que vem se realizando este ano.

O Sepe foi representado pelos diretores Marcel Gavazza, Marcelo Santa’Ana, Simone Lima e Doroteia Frota. A SME foi representada pelos assessores do secretário, Wilman Costa e Saulo Albuquerque.

Nas suas intervenções, a direção do sindicato pontuou o seguinte, a respeito dos assuntos pautados:

– Migração: o Sepe criticou a pouca transparência na aplicação desse direito, pois os professores não sabem se e quando vão poder migrar. Foi criticado, também, a pouca clareza dos valores contidos nos contracheques dos professores que fizeram a migração, especialmente em relação aos encargos. O Sepe também propôs ter uma explicação nas CRE’s das mudanças com a migração;


– Concursos e convocação de aprovados:
o sindicato criticou a falta de informações por parte da Secretaria da real carência de professoras na rede e dos próximos convocados. A SME informou que ainda não fez a chamada completa dos aprovados e que ainda não há a permissão para essa convocação por parte da Fazenda e Planejamento. O Sepe pediu uma audiência urgente com essas pastas;

– Pandemia: o Sepe reivindicou a necessidade do retorno do protocolo de segurança sanitário nas escolas, devido ao incremento da pandemia na cidade;

– Triênios: foi questionado se o dispositivo utilizado pela prefeitura para pagar os triênios à Guarda Municipal não poderia ser aplicado à Educação. Nesse item, a SME informou não ter a resposta.

Foi feita uma ata da reunião com todas as respostas da SME que pode ser lida aqui.

0

Os profissionais da educação da rede estadual RJ farão greve de 24 horas, com passeata até o Palácio Guanabara, nesta quarta-feira, 22 de junho. Neste dia, a categoria realizará uma concentração (“esquenta”) no Largo do Machado, a partir de 9h30 (sem assembleia), seguida de marcha em direção à sede do governo do Estado para reivindicar do governador Cláudio Castro as seguintes reivindicações centrais:

– Recomposição salarial e cumprimento do Piso Nacional do Magistério e do Pìso Regional RJ para os funcionários: mesmo com a recomposição salarial de 13,05%, em janeiro, o piso da categoria continua muito distante do piso nacional do magistério. Já os funcionários administrativos têm um piso abaixo do salário mínimo regional e nacional, por isso a importância de lutarmos para que a referência seja a lei do piso regional;

– Implementar o 1/3 extraclasse, já;

– Migração para 30h e convocação de mais concursados.

– Contra o Novo Ensino Médio.

A luta nas escolas, nas ruas e nas redes sociais pressiona o governo para que as reivindicações da categoria sejam ouvidas e implementadas. Estamos tendo audiências com a Seeduc, PGE e Alerj, em que a nossa pauta vem sendo discutida e cobrada. Por isso, a importância deste protesto. Lembrando que na semana passada, após muita luta dos aposentados e aposentadas, que desaguou em um protesto no Palácio Guanabara, o governo fechou acordo com o Sepe e aceitou voltar a pagar o processo Nova Escola (leia mais sobre o acordo aqui). ou seja, nossa mobilização é fundamental!

Vamos realizar a passeata para mostrar a força da categoria.

📆 22/06

⏰ 9h30 – Concentração no Largo do Machado

⏰ 11h – Passeata ao Palácio Guanabara

ASSEMBLEIA GERAL HÍBRIDA DA REDE ESTADUAL DIA 25/06 – INSCRIÇÕES ABERTAS:

A rede estadual de educação do Rio de Janeiro realizará assembleia híbrida (on-line pela rede Zoom e presencial, no Clube Municipal (Tijuca), no sábado, dia 25 de junho, às 10h. O Sepe convoca os profissionais da educação para debater os rumos da mobilização.

– PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA A PARTICIPAÇÃO ON-LINE: as inscrições já estão abertas e o término será às 22h, do dia 24/06.
– A INSCRIÇÃO será feita por meio do seguinte LINK: http://redeestadual.seperj.info
0

A rede estadual de educação do Rio de Janeiro realizará assembleia híbrida (on-line pela rede Zoom e presencial, no Clube Municipal (Tijuca), no sábado, dia 25 de junho, às 10h. O Sepe convoca os profissionais da educação das escolas estaduais e participarem da plenária híbrida para debater os rumos da mobilização.

Orientações para cadastramento/inscrição:

 

PERÍODO DE INSCRIÇÃO: as inscrições já estão abertas e o término será às 22h, do dia 24/06.

a) A INSCRIÇÃO será feita por meio do seguinte LINK: http://redeestadual.seperj.info

b) Caso não esteja ainda cadastrado o profissional será encaminhado para preencher o formulário de cadastramento (será solicitado envio de contracheque digitalizado da rede em questão);

c) No prazo de até 24 horas será informada a aprovação (ou não) de seu cadastro;

d) Após a aprovação do cadastro o profissional receberá uma mensagem de e-mail com a confirmação da inscrição e link para ativação de sua senha (confira nas Caixas de Spam ou de Promoções);

e) No dia da assembleia o profissional devidamente cadastrado e com a senha ativada receberá por e-mail links de acesso a plataforma Zoom e para votação de propostas.

Profissional da educação, se inscreva e participe.

 

0

O Sepe Duque de Caxias, em conjunto com uma série de entidades ligadas ao movimento social e de defesa da Educação, participará de um ato nesta terça-feira (dia 21/6) em protesto contra a mudança do nome da Escola Municipal Dra. Zilda Arns para Escola Municipal Olinda Bonturi Bolsonaro, efetuada pela prefeitura de Duque de Caxias sem qualquer consulta à comunidade escolar e sem que a proposta de mudança fosse aprovada pelo poder legislativo. O protesto será realizado na porta da escola (Rua Belisário de Souza, esquina com a Avenida Nelson Mauro – Saracuruna – Duque de Caxias), a partir das 10h.

 

A escola, que pertence à rede municipal de Caxias, está localizada no bairro de Saracuruna e estava fechada por causa de problemas de infraestrutura, tendo seus alunos alocados em outras unidades municipais, enquanto a prefeitura promovia a construção de um novo prédio. Agora, depois da conclusão da obra, o prefeito Wilson Reis nem esperou a aprovação na Câmara de Vereadores do seu projeto de lei que propunha a mudança e já colocou uma placa no novo prédio, renomeando a unidade escolar com o nome da mãe do atual presidente da república, Jair Bolsonaro.

 

Para a comunidade e lideranças do movimento social local a atitude do prefeito, que demonstra total falta de sensibilidade e reconhecimento do poder público municipal para com o importante trabalho social desenvolvido por Zilda Arns em nível nacional, internacional e, também em Duque de Caxias, um local em que teve atuação destacada no combate à fome e à pobreza a partir do convite do Bispo Emérito da diocese local, Dom Mauro Morelli. O Bispo, aliás, é um dos que mais criticam a prefeitura por causa da mudança. Ao retirar o nome de Zilda Arns da unidade, Wilson Reis dá uma prova de total falta de reconhecimento da importância da atuação da médica, que morreu trabalhando em prol dos mais desfavorecidos durante o grande terremoto que dizimou o Haiti, em 2010.

 

 

 

0