Recepção: (21) 2195-0450. Agende seu atendimento pelo Departamento Jurídico: (21) 2195-0457 (10h às 16h).

O Sepe RJ convoca os aposentados e aposentadas da educação estadual do Rio de Janeiro para o ato de protesto que será realizado no Palácio Guanabara nesta terça-feira (7 de junho), às 10h.

A categoria vai exigir que o governador Cláudio Castro receba uma comissão e pare de protelar o pagamento dos grupos restantes da ação da gratificação Nova Escola.

O Sepe entrou com a ação em 2005, pedindo o pagamento da gratificação que fora paga até 2003 somente para o pessoal da ativa. A ação foi ganha pelo sindicato e começou a ser paga em 2016. Os pagamentos foram divididos em 21 lotes, mas, até hoje, só três lotes foram pagos pelo governo. Com isso, são mais de 10 mil aposentados que aguardam há anos para receber seus direitos, muitos em idade bastante avançada e alguns que já vieram a óbito sem conseguir ver depositado os valores determinados pela Justiça, cujo pagamento se encontra suspenso por causa do governo do estado.

Além do reinício do pagamento do nova escola e outras ações judiciais (ação dos “Interníveis” e ação da gratificação dos R$ 164,00) em favor dos aposentados, vamos reivindicar também o piso nacional do magistério e a realização de concursos públicos para manter a vitalidade dos recursos do Rio Previdência.

No dia 7 de junho, as aposentadas e aposentados vão lotar a porta da sede do governo para exigir que o governador pague o que deve.

0

Em assembleia realizada nesta quarta-feira (01/06), na quadra da Escola de Samba da Estácio, na Cidade Nova, centenas de profissionais de educação das escolas públicas municipais do Rio de Janeiro decidiram que irão fazer uma nova greve de 24h no dia 02 de agosto, no retorno às aulas no 2º semestre. A assembleia também decidiu que a categoria entrou em estado de greve.

O Sepe convoca a categoria a participar de toda a mobilização que faremos até o dia da assembleia, em 02/08, quando teremos que pressionar o prefeito e os vereadores a discutirem e aceitarem a nossa pauta de reivindicações, a começar pela recomposição salarial, pois estamos há mais de 3 anos sem qualquer reajuste.

Também nesta quarta-feira, os profissionais da rede municipal fizeram greve de 24h e, após a assembleia que aprovou uma série de decisões e um calendário de luta (leia mais adiante), saíram em passeata até a sede da prefeitura, onde se uniram ao ato conjunto dos demais servidores municipais, mobilizados em torno do MUDSPM RJ (Movimento Unificado dos Servidores Municipais da Prefeitura RJ).


Os servidores municipais têm como pauta comum a recomposição salarial – o último reajuste ocorreu em março de 2018, portanto, há mais de três anos -, o descongelamento dos triênios e a aplicação dos Planos de Carreiras e Salários para as categorias que ainda não foram contempladas.


No ato da prefeitura, com a presença de cerca de 800 servidores de categorias diversas, foi formada uma Comissão de Negociação do MUDSPM que reivindicou ser recebida pelo prefeito. Após mais de uma hora de espera, a comissão foi informada que o prefeito nem algum membro de seu Gabinete atenderia a comissão. Assim, mais uma vez, a prefeitura do Rio desrespeitou o funcionalismo, ao se recusar a dialogar com as categorias em luta. Dessa forma, foi dado por encerrado o ato.


Além da pauta geral dos servidores, a rede municipal de educação RJ está em campanha salarial e conta com uma pauta própria, encabeçada pela reivindicação de reajuste salarial de 22,77% – índice do INPC-IBGE (DIEESE), contando a partir do último reajuste do servidor, em março/2019, até dezembro/2021. As perdas também levam em consideração o aumento do desconto previdenciário de 11% para 14%. Além do reajuste, a categoria está em luta por:

– Descongelamento dos Triênios;

– Implementação do 1/3 de planejamento extraclasse, com tratamento isonômico para toda a categoria;

– Reajuste do auxílio alimentação, congelado há 10 anos;

– Direito à migração de 40h;

– Respeito ao direito à origem para os funcionários e professores;

– Pagamento do triênio (adicional por tempo de serviço) para os secretários escolares na gratificação por desempenho, no cargo técnico GD;

– Contra o fechamento de turmas e berçários;

– Valorização dos profissionais da Educação Especial;

– Respeito à nossa carga horária (8 horas e não 9 horas, sem hora de almoço inserido nas 40h);

– Volta do pagamento do adicional de qualificação para o funcionário administrativo.


INFORMES, CALENDÁRIO E DELIBERAÇÕES DA ASSEMBLEIA DE 1º DE JUNHO

 

1) 06/06 a 07/07: Período para realizar assembleias das regionais;

2) 10/06: Comissão de Educação da Câmara de Vereadores realizará Audiência Pública sobre a Estrutura das Escolas;

3) 14/06: Ato dos Aposentados(as) na Câmara de Vereadores (Cinelândia);

4) O Sepe fará novo bloco de “corrida” aos gabinetes dos vereadores para pressionar sobre a nossa pauta;

5) 24/06: Plenária Extraordinária de Funcionários Administrativos;

6) 09/07: Conselho Deliberativo da Rede Municipal (na parte da manhã);

7) 02/08: Greve de 24h no retorno às aulas no 2º semestre;

8) Divulgar nossa pauta na reunião de planejamento escolar, previsto para 25/07;

9) Divulgar nossa pauta na Reunião de Responsáveis do dia 30/07;

10) Junho: mês de campanha nas redes sociais, hastags, um dia concentrado nas páginas do prefeito etc;

11) O Sepe irá ao Ministério Público para questionar a gravação de estudantes – constrangimento dos estudantes com a Leitura Funcional;

 12) O Sepe vai orientar ao professor não assumir turma nesse período de 2/3 na escola, inclusive no “soninho”;

13) Junho: reforçar visita às escolas;

14) O Sepe irá na posse das novas PEIs convidadas;

15) Campanha “Dinheiro Público para contrato público, concursos e convocações” – não a compra de apostila da Fundação Roberto Marinho;

16) Defesa das cozinheiras readaptadas para que não retornem para cozinha;

17) Defesa da migração;

18) Defesa de Concurso público;

19) Defesa das Agentes de Educação Infantil (AEI) como magistério;

20) Estado de Greve.

0

A plenária da rede estadual realizada no dia 28 de maio deliberou pela realização de uma greve de 24 horas no dia 22 de junho. Neste dia, a categoria fará uma passeata até o Palácio Guanabara, com concentração no Largo do Machado, a partir das 9h30m.

Durante o protesto, a categoria irá reivindicar pelos seguintes eixos aprovados pela assembleia:

Reajuste salarial! Cumprimento dos Pisos Salariais Nacional dos Professores e Regional dos Funcionários já!

– Concretizar a implementação do 1/3 de planejamento de carga horária já!

– Pagamento dos Processos Nova Escola dos Aposentados já!

– Migração para 30h e convocação de mais concursados já!

0

A direção do sindicato participou de uma reunião do GT para tratar do 1/3 de carga horária na SME RJ nesta quinta-feira (dia 2/6). Participaram do encontro, além de diretores do SEPE RJ, assessores dos gabinetes dos vereadores William Siri (PSOL) e Chico Alencar (PSOL) e os assessores do secretário Willmann Costa e Saulo Albuquerque, além da SUBEX da Coordenadoria Geral de Recursos Humanos (CGRH) da Secretaria, Cynthia Vallim. O Sepe e os assessores dos vereadores presentes expressaram preocupação com a garantia do horário de planejamento. A direção do sindicato também falou da questão do 1/3 de carga horaria para os professores de Educação Infantil, em especial quando se trata daqueles que trabalham nos Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDI).

O sindicato indagou sobre a possiblidade de retorno dos Centros de Estudos Integrados como espaço para construção coletiva, o PPP de a integração da Unidade Escolar. Enfatizamos que o cumprimento do 1/3 dentro das unidades é a falta de infraestrutura adequada para realização desta atividade. Também enfatizamos que outras dinâmicas das unidades escolares fazem com que o professor não consiga ter a garantia da sua carga horária de planejamento. Também pedimos que haja uma discussão sobre o que é de fato “fala de estrutura das escolas”.

Willmann propôs a construção de diferentes modelos de cumprimento de carga horária de planejamento nas diferentes etapas e modalidades ofertadas pela Secretaria e todos os presentes corroboraram a sugestão. A próxima reunião foi marcada para o dia 28 de junho.

Veja pelo link abaixo a ata com o teor completo do que foi discutido nesta audiência:

https://seperj.org.br/wp-content/uploads/2022/06/Ata-de-reuniao-SEPE-GT-02-06-2022.pdf


0

O RJ TV da TV Globo e o Jornal O Dia veicularam uma denúncia do Sepe Itaguaí sobre os gastos que a prefeitura municipal pretendem fazer com a realização de uma festa de aniversário, que custará cerca de R$ 2,5 milhões aos cofres públicos, enquanto faltam materiais básicos para o dia a dia das escolas da rede municipal.

 

A Expo Itaguaí deste ano começa em 30 de junho e vai até 5 de julho, dia do aniversário 2004  anos de Itaguaí. A festa agropecuária terá shows como Capital Inicial, Simone e Simaria, João Gomes e Eli Soares. Enquanto a prefeitura anuncia as atrações, professores e pais de alunos da rede municipal dizem que falta até papel higiênico nas escolas.

 

Veja matérias pelos links abaixo:
Matéria do RJ TV:

https://seperj.org.br/wp-content/uploads/2022/06/VID-20220531-WA0161.mp4

Matéria do Jornal O DIA:

https://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2022/05/6413378-itaguai-tera-festa-de-aniversario-com-shows-por-rs-25-milhoes-enquanto-falta-papel-higienico-nas-escolas-diz-sepe.html










 

0